A CERTEZA DO CRENTE

Não sei por que de Deus o amor
A mim se revelou,
E para si meu Salvador,
Minha alma resgatou.

Mas eu sei em quem tenho crido,
E sei também que ele é poderoso:
Guardará, pois, o meu tesouro
Até o dia final.

Não sei como é que, enfim, eu sou
Liberto aqui do mal;
E como Cristo me aceitou,
Por graça divinal.

Não sei o que de mal ou bem
É destinado a mim.
Se maus ou áureos dias vêm,
Até da vida o fim!

De quando vem Jesus, não sei,
Se breve ou tarde vem,
Não sei ao certo quando irei
Ao lar celeste, além.

Rev. Justus Henry Nelson