Igreja Evangélica Metodista Portuguesa

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Entrada Textos Artigos 31 de Outubro. Reforma Protestante.

31 de Outubro. Reforma Protestante.

alt





"A justificação pela fé. A autoridade das Sagradas Escrituras. O Sacerdócio universal de todos os crentes." 



alt

Martinho Lutero, como muitos dos mais célebres entre os homens, era de familia pobre. Dizia ele: "Sou filho de camponeses; meu pai, meu avô e meu bisavô eram verdadeiros camponeses". Aos dezoito anos foi estudar numa universidade em Erfurt, o centro intelectual da Alemanha. Com a idade de vinte e um anos, alcançou o segundo grau académico e o de doutor em filosofia.

A alma de Lutero suspirava por Deus, acima de todas as coisas. Um dos acontecimentos marcantes da sua vida foi quando achou na biblioteca o maravilhoso Livro dos livros, a Bíblia completa, em latim. Depois de uma longa leitura, exclamou: “Oh! Se a Providência me desse um livro como este, só para mim!”.

O acontecimento, que mais o abalou em espírito, foi o que experimentou durante uma terrível tempestade, quando voltava de visitar seus pais. De repente um raio caiu ao seu lado. Lutero, tomado de grande susto, e sentindo-se perto do Inferno, prostrou-se gritando: “Sant'Ana, salva-me e tornar-me-ei monge!” e ainda antes de completar vinte e dois anos, tornou-se irmão agostiniano. Certo dia Lutero achou, na biblioteca do convento, uma velha Bíblia latina, presa à mesa por uma cadeia. Achara, enfim, um tesouro infinitamente maior que todos os tesouros literários do convento. Ficou tão embevecido que, durante semanas inteiras, deixou de repetir as orações diurnas da ordem. A certa altura, o vigário geral da ordem agostiniana, Staupitz, visitou o convento e ofereceu-lhe uma Bíblia, aquilo que ele tanto ansiava.

Acerca da grande transformação da sua vida, Lutero escreveu: “Desejando ardentemente compreender as palavras de Paulo, comecei o estudo da Epístola aos Romanos. Porém, logo no primeiro capítulo consta que a justiça de Deus se revela no Evangelho (versículos 16,17). Eu detestava as palavras: ‘a justiça de Deus', porque, conforme fui ensinado, eu a considerava como um atributo do Deus santo que o leva a castigar os pecadores. Apesar de viver irrepreensivelmente, como monge, a consciência perturbada me mostrava que era pecador perante Deus. Assim odiava a um Deus justo, que castiga os pecadores... Senti-me ferido de consciência, revoltado intimamente, contudo voltava sempre para o mesmo versículo, porque queria saber o que Paulo ensinava. Contudo, depois de meditar sobre esse ponto durante muitos dias e noites, Deus, na sua graça, me mostrou a palavra: ‘O justo viverá da fé'. Vi então que a justiça de Deus, nesta passagem, é a justiça que o homem piedoso recebe de Deus pela fé, como dádiva”.

Em 31 de Outubro de 1517, Lutero afixou à porta da Igreja do Castelo em Wittenberg, as suas 95 teses, o teor das quais é que Cristo requer o arrependimento e a tristeza pelo pecado e não a penitência. Lutero afixou as teses ou proposições para um debate público, na porta da igreja, como era costume naquele tempo. As teses foram escritas em latim e foram logo traduzidas em alemão, holandês e espanhol. Antes de decorrido um mês, para surpresa de Lutero, já estavam na Itália, fazendo estremecer os alicerces do velho edifício de Roma. Foi desse acto de afixar as 95 teses da Igreja de Wittenberg, que nasceu a Reforma Protestante, isto é, que tomou forma o grande movimento de pessoas que em todo o mundo ansiavam voltar para a fonte pura, a Palavra de Deus.

As cinco doutrinas essenciais da Reforma Protestante são: Sola Scriptura - somente a Escritura; Sola Gratia - somente a graça (salvação somente pela graça de Deus); Sola Fide - somente a fé (salvação somente pela fé); Solus Christus - somente Cristo; Soli Deo Gloria - glória somente a Deus.

 
 
 
 

Registo

Registe-se para receber toda a informação actualizada.