Igreja Evangélica Metodista Portuguesa

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Entrada Princípios Catecismo VII - A Igreja Metodista

VII - A Igreja Metodista

 

John Wesley, na sequência de uma experiência na qual recebeu uma garantia da sua própria salvação, sentiu-se chamado por Deus para um ministério de pregação itinerante. Com o apoio e ajuda de outros ministros e leigos com a mesma motivação, ele pregou em Igrejas, em casas, e ao ar livre, oferecendo aos seus ouvintes a mesma salvação e garantia que ele tinha experimentado.

Ele organizou aqueles que responderam à sua pregação em sociedades religiosas, divididas em classes, cada uma com o seu dirigente. Nomeou ajudantes e assistentes (mais tarde pregadores itinerantes e superintendentes) para cuidar das sociedades, agrupadas em circuitos. Os assuntos das sociedades foram regulados pela Conferência Anual de Pregadores. Apesar de não ser da vontade de John Wesley que o Metodismo se separasse da Igreja Anglicana, com a sua morte este tornou-se uma Igreja distinta.

66. Como surgiu a Igreja Metodista?

 

Entre os que mais o apoiaram encontrava-se o seu irmão Charles Wesley (ver nota abaixo 69) e o Rev. George Whitefield (1714-1770).

O "Pacto de União" entre as Igrejas Metodistas de Inglaterra (1932) estabelece (Cláusula 30): "A Igreja Metodista...lembra-se sempre de que na Providência de Deus o Metodismo surgiu para espalhar a Santidade escriturística em toda terra pela proclamação da Fé Evangélica e declara a sua inabalável resolução de ser fiel à missão para que foi divinamente chamada."

66. Nota: O Rev. John Wesley (1703-1791) era um clérigo da Igreja Anglicana. Depois de um período de serviço em Savannah, Georgia - USA, voltou a Inglaterra, onde viveu a sua experiência do "coração estranhamente aquecido", em Aldersgate Street, Londres, em 24 de Maio, 1738.

 

A origem da Igreja Metodista em Portugal resultou do testemunho de dois leigos ingleses, Thomas Chegwin, em 1854, e James Cassels, dez anos mais tarde. Sob a liderança de Cassels, vários e sucessivos apelos foram dirigidos à Sociedade Missionária Metodista, de Londres, solicitando o envio de um missionário para orientar este trabalho. O pedido acabou por ser atendido e um jovem ministro, Robert Hawkey Moreton, foi enviado em 1871.

Entre 1920 e 1940, sob a orientação do Dr. Alfredo da Silva a Igreja Evangélica Metodista Portuguesa atravessou o seu período de expansão mais frutífero, recrutando membros de todas as classes sociais, aumentando o número das suas Escolas Primárias e confirmando-se como uma das mais dinâmicas e prestigiadas Igrejas Evangélicas do País. O isolamento criado pela Segunda Guerra Mundial, uma ditadura prolongada, a falta de continuidade de liderança quando Alfredo da Silva começou a envelhecer e o reduzido número de pastores, originaram uma crise de liderança, que o Sínodo procurou resolver pedindo uma vez mais, à Sociedade Missionária Metodista, apoio pastoral.

Isto resultou no envio do Rev. Stanley G. Wood e, em 1954, do Rev. Albert Aspey, que durante quase trinta anos liderou a Igreja, que cresceu em número de pastores em obras de serviço social e nas relações ecuménicas dentro e fora do pais. Em 1984 a Igreja retornou à liderança nacional, quando o Rev. Ireneu da Silva Cunha foi eleito Superintendente-Geral e a Igreja decidiu caminhar para a sua autonomia. Passados 12 anos, em 1996, o Metodismo Português adquire a sua autonomia, promulgada através de Estatutos previamente aprovados pelo Sínodo e pela Conferência Metodista de Inglaterra e consagra o seu Superintendente-Geral como primeiro Bispo Metodista Português.

67. Como surgiu a Igreja Metodista em Portugal?

 

- Preâmbulo Histórico dos Estatutos

- Os livros:
"Por este caminho" do Rev. Albert Aspey
"Uma Caminhada Ecuménica: 25 anos de Testemunho e Serviço em Portugal" editado pelo Conselho Português de Igrejas Cristãs

67. Nota: Sobre Metodismo em Portugal ver:

 

É parte da Igreja Universal. As suas doutrinas estão baseadas na Revelação de Deus na Bíblia. Recebeu e prega o Evangelho que os Apóstolos pregaram. Aceita os Credos da Igreja primitiva. Aceita os princípios da Reforma Protestante.

68. O que é que o Metodismo tem em comum com outras Igrejas?

 

Reforma Protestante: ver 50 (nota)

Ver Doutrinas Básicas

68. Os Credos: ver Secção (VI)

 

A sua mensagem pode ser resumida como:
- Todos precisam de ser salvos
- Todos podem ser salvos
- Todos se podem reconhecer como salvos
- Todos podem ser totalmente salvos

São elementos tradicionais :
- a importância da liderança leiga na pregação, cuidado pastoral e administração da congregação local;
- cantar hinos no culto e ensino da doutrina
- subdivisão das congregações em pequenos grupos para instrução, cuidado pastoral e comunhão
- circuitos, ligando as congregações locais duma área, e o Distrito, ligando um número de circuitos; sistema conexional ligando todas as congregações por meio da Conferência Anual (Sínodo).

69. Quais as características distintivas da Igreja Metodista?

 

Em Portugal o Sínodo é presidido pelo Bispo e cada Circuito tem um Superintendente.

69. Nota: O irmão de John Wesley, o Rev. Charles Wesley (1707-1788), escreveu mais de 7000 hinos.

 

Todos os que confessam Jesus Cristo como Senhor e Salvador e professam servi-lo na vida da Igreja e do mundo são bem-vindos como membros plenos da Igreja Metodista. Se os que pretendem ser membros não foram ainda baptizados, serão baptizados antes de serem recebidos como membros de pleno direito.

70. Quem é recebido como membro pleno da Igreja Metodista?

70. Comparar com 1, 2

Ver Regulamentos e Estatutos da Igreja Evangélica Metodista Portuguesa

 

Em geral, os deveres do membro da Igreja Metodista são: Participar no Culto e nos Sacramentos, testemunhar de Cristo na Igreja e no mundo, estudar as Escrituras e praticar a oração, promover a fraternidade cristã e exercer uma mordomia responsável dos seus dons e bens em apoio à missão da Igreja.

Em geral, são direitos do membro da Igreja Metodista: Receber assistência pastoral por meio do culto, da ministração dos Sacramentos, da visitação, da oração e da vivência da fraternidade em comunidade; direito de exercer os seus dons nos diversos ministérios a que Deus o chame e para os quais seja aceite; direito a participar plenamente em todas as manifestações da vida da Igreja aos seus diversos níveis, como sujeito e objecto de votação.

71. Quais são os deveres e os direitos de um membro da Igreja Metodista?

71. Deveres de Membro: comparar Secções (III), (IV), (V)

Ver os capítulos sobre os Membros, nos Estatutos e Regulamentos

Além do reconhecimento de Membro pleno, o Metodismo também mantém o Rol da Comunidade que inclui todos os membros e aderentes da congregação local.

 

Ordem Litúrgica do Culto do Pacto com Deus

VII Estudo Adicional

 

Leia em conjunto e em espírito de oração a liturgia de Recepção Pública como Membro Pleno por Profissão de Fé (ou Confirmação).

Estás pronto(a) a responder às perguntas feitas aos candidatos a Membro da Igreja Metodista?
- Arrependes-te dos teus pecados e renuncias a todo o mal?
- Confias em Jesus Cristo como teu Senhor e Salvador?
- Obedecerás a Cristo e servi-lo-às na Igreja e no mundo?

Hinos: H.E. 183, 184, 186

Devocional

 

Registo

Registe-se para receber toda a informação actualizada.